Procurador é aprovado em sabatina no Senado

O novo procurador-geral da República é Roberto Monteiro Gurgel Santos, em substituição a Antonio Fernando de Souza, que deixou o cargo em junho. O plenário do Senado aprovou ontem a indicação do seu nome por 60 votos contra cinco - antes, Gurgel havia sido sabatinado e aprovado por unanimidade na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).A sabatina de Gurgel na CCJ foi marcada pela defesa que fez em relação a uso de escutas telefônicas nas investigações. Na avaliação dele, as interceptações são necessárias, desde que sejam autorizadas e sem excessos. Gurgel afirmou que é "ilusão" acreditar que os "meios tradicionais de prova" são suficientes numa investigação.Aos 54 anos, ele é vice-procurador-geral da República desde 2004. O novo chefe do Ministério Público Federal é apontado como uma continuidade do estilo de atuação de Antonio Fernando de Souza, que permaneceu no posto por quatro anos - dois mandatos consecutivos.Roberto Gurgel foi o mais votado na lista de três nomes indicados pela Associação Nacional dos Procuradores da República.Aos senadores, Gurgel criticou o que chamou de "discurso de um garantismo absoluto" em favor dos acusados. "O Ministério Público tem feito questão de afirmar que, além da preocupação com o acusado, deve haver também preocupação com a efetividade da tutela penal. O Judiciário não pode e nem deve se esquecer disso", afirmou.O relator da indicação é o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Gurgel afirmou ainda que pretende aumentar a interação do Ministério Público com o Congresso. "Darei prioridade para ampliação de espaços de interlocução institucional, em especial canais de interação com a atividade parlamentar, buscando identificar demandas e percepções de senadores e deputados", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.