Procurador denuncia Jader Barbalho por peculato

O procurador-geral da República, Claudio Lemos Fonteles, denunciou hoje no Supremo Tribunal Federal (STF) o deputado federal Jader Barbalho (PMDB-PA) por suposto crime de peculato. Esse crime é praticado por quem se apropria de bens públicos ou privados em virtude do cargo. A pena prevista no Código Penal é de reclusão de dois a doze anos e multa. Fonteles quer que o STF abra uma ação penal para analisar o suposto envolvimento do parlamentar com desvio de dinheiro do Banco do Estado do Pará (Banpará). As irregularidades teriam ocorrido em 1984, quando Jader Barbalho governava aquele Estado. Segundo o procurador-geral, havia "ardiloso esquema criminoso". Para denunciar o deputado no STF, Fonteles baseou-se em relatório produzido pelo Banco Central (BC) que teria comprovado o desvio de dez cheques administrativos do Banpará. Esses cheques teriam sido aplicados em título de renda fixa por Jader Barbalho, segundo a Procuradoria. A íntegra da denúncia não foi divulgada sob o argumento de que contém dados sigilosos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.