Procurador decreta sigilo sobre venda da Delta

O procurador da República Edson Abdon, que preside o inquérito civil público sobre a compra da Delta Construções pelo grupo J&F, decretou o sigilo das investigações, em reação a vários pedidos de acesso aos autos, entre eles o da advogada Anna Carolina de Souza Morizot Leite, que representa os compradores.

WILSON TOSTA, Agência Estado

21 de maio de 2012 | 23h03

Ao negar o pedido da advogada, Abdon diz que o Ministério Público Federal tem o poder de proteger as apurações. O inquérito tem como objetivo coletar provas para futuros processos na Justiça, que poderiam ser prejudicados pela publicidade de atos da fase investigatória. Haveria ainda necessidade de manter sob proteção dados de natureza sigilosa.

Com a decisão, Abdon espera proteger informações que poderá usar em futuras medidas cautelares envolvendo a Delta Construções - os advogados das empresas e pessoas processadas só teriam acesso aos autos já na fase processual.

Empreiteira investigada na CPI do Cachoeira e pela Polícia Federal por suposto envolvimento com o contraventor Carlinhos Cachoeira, a Delta tem contratos com o governo federal e com vários governos estaduais, entre eles o do Rio de Janeiro, com o qual assinou contratos de R$ 1,49 bilhão. O MPF quer se preparar para garantir que o patrimônio da construtora não seja dilapidado e possa cobrir eventuais prejuízos causados pela empresa, suspeita de superfaturar obras.

Tudo o que sabemos sobre:
DeltaMPvendaJ&F

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.