Procurador de SP cria sistema para controlar grampos

O procurador-geral de Justiça de São Paulo, Fernando Grella Vieira, criou sistema de registro e regras sobre pedidos de interceptação telefônica. O objetivo do chefe do Ministério Público Estadual é manter sob controle expedientes com origem nas delegacias da Polícia Civil - 99% dos pedidos de grampos feitos à Justiça têm origem policial. Em ato divulgado ontem o procurador destaca necessidade de "concentração de esforços para prevenção de eventuais abusos". O sistema vai operar junto ao Centro de Apoio Operacional das Promotorias Criminais e reunirá todos os pedidos, mas não autoriza promotores a terem acesso ao conteúdo dos grampos. F.M.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.