Procurador da Câmara do DF pede reintegração de posse

Novo prédio foi ocupado por um grupo de 30 manifestantes que pedem a renúncia de Rogério Rosso

CAROL PIRES, Agência Estado

22 de abril de 2010 | 14h54

O procurador-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Fernando Nazaré, pediu, nesta quinta-feira, 22, na Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça local a reintegração de posse da nova sede da Câmara, ocupada, desde a noite de quarta-feira, por um grupo de manifestantes que reivindicam a renúncia do governador Rogério Rosso (PMDB).

 

Mais, cedo o procurador-geral de Justiça do DF, Marcelo Galvão, havia informado que assinaria, junto com Fernando Nazaré, o pedido de reintegração de posse, mas, na tarde desta quinta-feira, recuou da decisão e informou que o entendimento foi de que o tema é de interesse da Câmara Legislativa. E, por isto, apenas o representante do legislativo assina o documento.

 

 

A estratégia, seria não colocar o governo do Distrito Federal em rota de colisão com os estudantes, uma vez que o protesto é direcionado contra Rogério Rosso.

 

 

A Polícia Militar chegou, na segunda-feira, a cercar o prédio, mas voltou atrás porque havia uma dúvida jurídica sobre se o prédio já pode ser considerado público ou não. O empreendimento é da construtora Via Engenharia, foi bancado com dinheiro do Orçamento do DF, mas ainda não foi oficialmente entregue à Câmara Legislativa.

 

 

O procurador Fernando Nazaré avalia, no entanto, que o prédio já pode ser considerado público, sim, uma vez que a CPI da Corrupção já está funcionando no prédio, que também acomoda móveis e aparelhos de informática.

 

 

O clima no prédio invadido é tranquilo. Alguns estudantes trouxeram marmitas para os colegas, e parte do grupo dormem em camas improvisadas com material de construção. Apenas os seguranças particulares da construtora vigiam o loca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.