Procon notifica laboratórios sobre maquiagem de remédios

O Programa de Proteção ao Consumidor Ministério Público Estadual em Minas (Procon Estadual) determinou hoje a abertura de inquérito administrativo contra nove laboratórios farmacêuticos, para investigar as denúncias de aumento disfarçado nos preços, maquiado pela alteração das quantidades contidas nas embalagens. A denúncia foi feita pelo Conselho Regional de Farmácia no Estado (CRF-MG), o que motivou o Ministério Público a notificar os laboratórios Merck, Medley, Glaxo Welcome, Pfizer, Pharmacia & UPJO, Aché, Asta Médica, Smith Beecham e Searle. Na lista dos medicamentos que apresentaram irregularidades, o Procon Estadual aponta o caso do Midecarmin, do laboratório Merck, que aumentou a quantidade de 50 para 100 ml e quase triplicou o preço, que passou de R$ 8,51 para R$ 27,72, incremento de 62,18%. O promotor de justiça encarregado do caso, Amauri Artimos da Matta, concedeu prazo de 10 dias para que os laboratórios apresentem defesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.