Privatização da Petrobrás 'nunca esteve em cogitação', diz FHC

Ex-presidente desmentiu declaração de Gabriellie a considerou como 'totalmente eleitoreira'

Gustavo Uribe, da Agência Estado

18 de outubro de 2010 | 16h12

SÃO PAULO - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso avaliou nesta segunda-feira, 18, como totalmente eleitoreira a declaração do presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, de que o governo FHC pretendia desmembrar e posteriormente privatizar a estatal. "Só pode ser eleitoral, não tem base nenhuma e nunca esteve em cogitação a privatização da Petrobrás", ressaltou. De acordo com o ex-presidente, ele e o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, lutaram pela Petrobrás e pela quebra do monopólio estatal no setor de petróleo. "Nós mantivemos a Petrobrás, que é uma grande companhia."

 

Fernando Henrique destacou ainda que em sua gestão a exploração do petróleo no País aumentou muito mais que no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Nós transformamos a Petrobrás no que ela é hoje", afirmou, antes de evento na capital em que integrantes do PV pretendem declarar apoio a Serra, entre eles Fernando Gabeira e Fabio Feldmann, ex-candidatos a governador do Rio e de São Paulo, respectivamente.

 

Na semana passada, Gabrielli divulgou nota acusando o governo anterior de ter preparado a Petrobrás para a privatização. "Para o governo FHC, a Petrobrás morreria por inanição. Os planos do governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso eram para desmontar a Petrobrás e vendê-la", afirmou na nota, acrescentando que uma das estratégias teria sido a divisão da empresa em unidades autônomas de negócios que seriam repassadas à iniciativa privada.

 

Fernando Henrique também criticou a intromissão do presidente da maior estatal do País na disputa eleitoral deste segundo turno da campanha presidencial. "É lamentável que o presidente de uma empresa estatal, que ademais é mista, se meta na política dessa maneira e com injúrias e com mentiras", afirmou, lembrando que "não é a primeira que vez Gabrielli faz declaração semelhante".

 

Meio ambiente

 

O ex-presidente da República disse ter sido o primeiro a concordar com a organização ambiental Greenpeace na defesa da meta de desmatamento zero na Amazônia. "Eu acho esse fato (o apoio de integrantes do PV) agora muito importante", afirmou. "O PSDB está se comprometendo com as teses da sustentabilidade."

 

Perguntado se estava agindo como cabo eleitoral e pedindo apoio ao candidato Serra, FHC disse que participa da campanha dentro de limites e negou agir como o presidente Lula, que segundo ele atua como cabo eleitoral da candidata do PT, Dilma Rousseff. "Nunca fui em nenhum momento cabo eleitoral. Só dou minha opinião."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.