Alan Santos/Presidência da República
Alan Santos/Presidência da República

Prioridade é combater a 'grande corrupção' no Brasil, diz Moro

Em Davos, ministro da Justiça e da Segurança Pública diz que governo federal deve tomar a frente no combate ao crime organizado

Marcelo Osakabe e Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2019 | 14h28

SÃO PAULO - O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, disse nesta quinta-feira que a "primeira ideia" à frente do ministério é combater a grande corrupção no Brasil, e que essa ação deve ter impactos no combate ao crime organizado, ao tráfico de drogas e à violência. Participando em painel sobre o combate ao crime globalizado no Fórum Econômico de Davos o ministro afirmou, ainda, que o governo federal deve estar à frente nesse processo.

Respondendo a uma pergunta sobre como combater o crime organizado, que tem praticado ações violentas em Estados brasileiros, como o Ceará, Moro disse que o problema atinge não só o Brasil, mas também outros países da América Latina.

"Tomei o compromisso de mudar as coisas. A primeira ideia é combater a grande corrupção, porque o Brasil é provavelmente o País que fez mais contra a corrupção nos últimos dez anos no mundo", disse o ex-juiz da Operação Lava Jato no Paraná. "Nossa primeira medida será enviar um projeto não apenas sobre a corrupção, mas o crime organizado e a violência", uma vez que essas coisas andam juntas, acrescentou.

Para o ministro, o governo federal precisa tomar a frente no processo de combate à corrupção, que até agora foi feito por promotores e pela polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.