Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Prioridade do novo governo é construir estabilidade política no Congresso

Senador também fez boa avaliação da votação que afastou a presidente Dilma Rousseff por 55 votos a 22

Isabela Bonfim, Ricardo Brito, Gustavo Porto, Luísa Martins e Valmar Hupsel Filho, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2016 | 07h29

BRASÍLIA - O presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), cotado para o Ministério do Planejamento, afirmou que as prioridades do novo governo, assumido agora pelo vice-presidente Michel Temer, serão a coalizão política e a reestruturação econômica.

"A prioridade do novo governo é primeiro construir uma estabilidade política no Congresso para ancorar todo tido de medida necessária para restabelecer o rumo do País. Segundo, é reorientar a economia", afirmou.

Segundo o senador, isso será possível através da recuperação da credibilidade, da segurança jurídica e da capacidade do governo de retomar a previsibilidade da economia. "Precisamos que agentes externos e internos possam voltar a investir no Brasil. É muito importante que o Brasil volte a ser um porto seguro para os investimentos", afirmou Jucá.

O senador também fez boa avaliação da votação desta terça-feira, 12, que afastou a presidente Dilma Rousseff por 55 votos a 22. "É um resultado significativo porque mostra uma estabilidade da posição do Senado. Para haver a cassação definitiva, é preciso ter 54 votos. Portanto, nós já alcançamos o quórum necessário para cassação, se ficarem confirmadas as denúncias."

A partir de agora, a presidente fica afastada por 180 dias, período em que a comissão do impeachment do Senado dá início aos trabalhos de investigação para verificar se a presidente cometeu, de fato, crime de responsabilidade. O julgamento final de Dilma é previsto para setembro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.