Mauro Pimentel/AFP
Mauro Pimentel/AFP

Prioridade do governo será desburocratizar a administração, diz Onyx

Futuro ministro da Casa Civil diz que governo irá revogar atos de gestões anteriores em reunião no dia 3

Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2019 | 15h15

BRASÍLIA - Ao chegar ao Congresso nesta tarde, o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o presidente eleito Jair Bolsonaro dirá, em seu discurso de posse, que não recebeu da população um "papel em branco" e sim, "a missão de governar para todos". 

Braço direito de Bolsonaro, Onyx disse que o próximo presidente do Brasil está "muito feliz e alegre" com o dia de hoje. "Ele vai convocar a todos para que, unidos, possamos superar as dificuldades e deixar os embates ideológicos ou doutrinários para o plenário do Congresso ou para as próximas eleições. Precisamos de um período em que todos se unam para transformar o Brasil", disse. 

Onyx afirmou ainda que Bolsonaro editará uma medida provisória e decretos para reconfigurar a administração central do seu governo para viabilizar a criação dos 22 ministérios. 

Bolsonaro realizará sua primeira reunião ministerial no próximo dia 3, já no Palácio do Planalto. De acordo com o futuro ministro, a prioridade do governo será desburocratizar a administração pública e para isso, alguns atos de governos antigos poderão ser revogados. 

Questionado sobre quais seriam esses pontos, Onyx afirmou apenas que hoje é um dia de festa. "Vou trabalhar só amanhã", disse aos jornalistas. 

Sobre a relação do Brasil com outros países da América Latina, Onyx destacou que é preciso ter uma "parceria produtiva". "Eventuais dificuldades que existam nos acordos que existem hoje serão administrados pelo ministério de Relações Exteriores", disse.

Mais conteúdo sobre:
Onyx Lorenzoni

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.