Príncipe de Mônaco autoriza extradição de Cacciola ao Brasil

O príncipe Albert, de Mônaco,autorizou a extradição do ex-banqueiro Salvatore Cacciola,atendendo pedido do Brasil, informou nesta sexta-feira aassessoria do Ministério da Justiça. À decisão do príncipe não cabe recurso, segundo oministério. As apelações apresentadas contra o parecer da Procuradoriado principado favorável à volta ao Brasil do ex-dono do BancoMarka já haviam sido recusadas. A Corte de Direitos Humanos daEuropa também negou, na semana passada, um recurso doex-banqueiro para não ser extraditado de Mônaco para o Brasil. Cacciola foi condenado a 13 anos de prisão pela Justiçabrasileira por crimes financeiros. Foragido desde 2000, ele foipreso pela polícia de Mônaco em setembro do ano passado. O escândalo financeiro envolvendo Cacciola ocorreu em 1999,durante o processo de desvalorização do real, quando o BancoCentral socorreu os bancos Marka e FonteCindam com 1,6 bilhãode reais. O BC justificou na época a ajuda a esses bancos como umamedida para evitar o que classificou de risco sistêmico para omercado financeiro do país. (Reportagem de Raymond Colitt)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.