Principais auxiliares do presidente Lula já estão de férias

As folgas mais comentadas são as da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, que está afastada desde o dia 22

Luciana Nunes Leal, de O Estado de S.Paulo

26 de dezembro de 2008 | 16h40

A Esplanada dos Ministérios, em Brasília, está quase vazia de ministros. À exceção do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, e de alguns outros que preferiram passar o Natal em Brasília, como Edison Lobão (Minas e Energia), e Franklin Martins (Comunicação de Governo), os principais auxiliares do presidente Luiz Inácio Lula da Silva entraram de recesso ou de férias.  As folgas mais comentadas são as da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Ela está de férias desde o dia 22. No sábado, dia 20, teria se submetido a uma cirurgia plástica no rosto e no pescoço em Porto Alegre. Recolheu-se depois. De forma que há uma grande expectativa quanto à primeira reaparição pública da ministra, no início de janeiro. Enquanto para muitos colegas a temporada é de folga e distância de Brasília, os ministros do Planejamento, Paulo Bernardo, e da Previdência, José Pimentel, tiveram de ficar de plantão, visto que suas pastas têm ainda muitas pendências para resolver. Pimentel reúne-se com Lula na segunda-feira. Como o presidente marcou compromissos de trabalho, também estarão a postos os ministros Franklin Martins, da Comunicação Social, e Luiz Dulci, da Secretaria Geral de Governo. A não ser que o presidente convoque para alguma emergência, o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, vai continuar em recesso na próxima semana, até o dia 5. A assessoria de Múcio lembra, no entanto, que ele é "muito imprevisível". "Pouco antes do Natal e até o fim de janeiro, nem os ministros costumam aparecer. É muito raro. Movimento forte agora só a partir de fevereiro. Mas a casa continua funcionando normalmente, para quem quiser aparecer", atesta Nei Bernardo da Silva, um dos maitres do Piantella, restaurante que reúne políticos de todas as tendências no Plano Piloto. Silva tem 56 anos e 31 de trabalho no Piantella está acostumado com o deserto da capital no mês de janeiro. "Não é de agora, sempre foi assim. A grande maioria viaja", diz. O ministro Mangabeira Unger, de Assuntos Estratégicos, escolheu os Estados Unidos, onde vivia antes de assumir o cargo, para passar as férias, iniciadas em 20 de dezembro. Quando voltar ao trabalho, continuará lá, para uma reunião com assessores do presidente eleito Barack Obama. Já o titular do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Miguel Jorge, escolheu a paradisíaca praia de Maraú, no sul da Bahia. A grande maioria optou passar o Natal em suas próprias cidades, com as famílias.

Tudo o que sabemos sobre:
MinistrosLularecesso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.