Primeiro-ministro francês quer cooperar com Marta

Ao receber hoje a prefeita Marta Suplicy durante cerca de 40 minutos em seu gabinete, o primeiro-ministro francês, Lionel Jospin, declarou que a França está de portas abertas para uma cooperação mais voluntária e intensa com a nova administraçao da cidade de São Paulo. Ele ainda aceitou o convite formulado por Marta para, no decorrer de um almoço na casa dela em São Paulo, encontrar as lideranças de esquerda do País quando vier ao Brasil no início de abril. Depois de ouvir o relato da prefeita sobre as dificuldades enfrentadas por sua administração e seu desejo de obter o apoio francês para a implementação de projetos em diferentes setores da vida paulistana, o chefe do governo falou da situação florescente da França no campo econômico, com o aumento da produtividade e o êxito no combate à exclusão social. Pela avaliação de Jospin, os programas oficiais para inserção de jovens na vida ativa e redução da jornada de trabalho para 35 anos foram muito importantes na estratégia francesa de redução do desemprego. Após o encontro com Jospin, Marta Suplicy falou com a imprensa. Ela disse que exemplo francês de desenvolvimento econômico com um sentido solidário deveria ser considerado por países como Brasil, onde "os déficits sociais são gritantes". Logo depois de Jospin, foi a vez de o Ministro da Educação, Jack Lang, render homenagens à prefeita, com um coquetel prestigiado por personalidades do mundo universitário, politico e diplomático. Ao saudar Marta Suplicy, Lang deu-lhe o tratamento de "camarade", lembrando que "na França e no Brasil empreendemos o mesmo combate pela liberdade e justiça social".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.