Primeira-dama Marisa passa por saia-justa em SP

A primeira-dama Marisa Letícia passou por constrangimento ontem ao participar da campanha do candidato do PT ao governo do Estado, Aloizio Mercadante, em Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo. Enquanto aguardava a chegada do petista, em uma padaria, foi abordada rispidamente por uma moradora.

AE, Agência Estado

28 de agosto de 2010 | 11h17

"As coisas não melhoraram por aqui, como vocês dizem", afirmou ela, com o dedo em riste. "Isso porque vocês só vêm aqui em época de eleição."

A mulher, que não se identificou, foi retirada do local pelo prefeito de Carapicuíba, Sérgio Ribeiro (PT). Marisa não comentou o episódio.

Mais tarde, no Instituto Casa da Gente, mantido pelo cantor e candidato ao Senado pelo PC do B, Netinho de Paula, Marisa ainda passou pelo desconforto de ser confundida com a ex-prefeita Marta Suplicy (PT). "Nossa, como a Marta está diferente!", comentou uma das mulheres que a aguardavam na sede da entidade.

Na terça-feira, na Favela Paraisópolis, em São Paulo, a primeira-dama já havia sido confundida - e não apenas com Marta, mas também com a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. Outros achavam que ela é candidata. Uma moradora até chegou a lhe pedir a liberação de sua aposentadoria. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.