Previdência perde contribuintes

A relação entre contribuintes da Previdência Social e População Economicamente Ativa (PEA) caiu nos últimos 20 anos. Dados parciais do estudo encomendado pela Previdência Social ao Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) demonstram que, em 1977, cerca de 81% da população ocupada estava vinculada à Previdência Social. Este porcentual baixou para 59% em 1999. Segundo o secretário de Previdência Social, Vinícius Carvalho Pinheiro, a deteriorização dessa relação se deu em razão da mudança do perfil do mercado de trabalho. O número de trabalhadores na informalidade, nesse período, cresceu bastante, assim como o de trabalhadores autônomos, sem vínculo com a Previdência. Também apresentou deteriorização a relação entre contribuintes da Previdência Social e aposentados. Em 1977, para cada aposentado existiam 3,8 pessoas em atividade. Esta relação caiu para 1,7 em 1999, ou seja, para cada aposentado existe apenas 1,7 contribuinte. Num sistema de repartição simples, como é o da previdência básica brasileira, isso é preocupante porque são os atuais trabalhadores que sustentam com suas contribuições os aposentados. O secretário disse que o objetivo do estudo, que será entregue completo pelo Ipea no mês de março, é o de subsidiar políticas de aumento da cobertura do Instituto Nacional do Seguro Social. A Previdência já prevê que o Brasil enfrentará um grave problema social no futuro se não conseguir aumentar a massa de trabalhadores contribuintes. Sem contribuição, este contingente estará condenado a não ter renda própria na aposentadoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.