Previdência cria nova central contra fraudes

O secretário-executivo do Ministério da Previdência Social, José Cechin, anunciou a criação da Central de Avaliação de Riscos do Sistema Previdenciário, como parte de um processo de intensificação do combate aos fraudadores e sonegadores da seguridade social. A Central, segundo o secretário, vai sistematizar o cruzamento de informações entre os diversos bancos de dados do governo, de forma a identificar a vulnerabilidade do sistema, dando condições à Previdência Social de se antecipar à ação das quadrilhas organizadas. "Queremos resultados imediatos?, declarou, acrescentando que essa ofensiva contra as fraudes vem se somar à força-tarefa criada em agosto de 2000 para reprimir as irregularidades no sistema previdenciário. Nos 18 meses de existência, a força-tarefa conseguiu, segundo o secretário, economizar R$ 20,7 milhões para os cofres públicos nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Cechin informou que, nesse período, a equipe da força-tarefa encaminhou à Auditoria do INSS cerca de 10 mil benefícios sob suspeita de fraude. Desse total, 1.788 benefícios já foram suspensos, cancelados ou cessados. Cechin ressaltou que, além da economia de recursos e da retomada dos bens adquiridos com o dinheiro desviado, a Previdência vem obtendo sucesso no desmonte das quadrilhas, com a prisão dos seus integrantes. Pelos dados da Previdência Social, só no Rio de Janeiro e São Paulo foram presas 89 pessoas, sendo 52 em flagrante e 37 em cumprimento de mandados judiciais. No total, o somatório das penas fixadas pela Justiça ultrapassa 160 anos, enquanto a média de condenações é de quatro anos. ?Não temos dado trégua ao crime organizado, que tenta se aproveitar de brechas nos processos para se apropriar indevidamente dos recursos da Previdência?, disse o secretário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.