Gabriela Biló/Estadão; Dida Sampaio/Estadão; e Dida Sampaio/Estadão
Gabriela Biló/Estadão; Dida Sampaio/Estadão; e Dida Sampaio/Estadão

Prévias do PSDB: Doria, Leite e Virgílio debatem eleições no Estadão

Evento reúne governadores de São Paulo e Rio Grande do Sul, além de ex-prefeito de Manaus nesta sexta-feira, 12; para presidente do PSDB, debate é oportunidade para partido se mostrar como alternativa

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2021 | 09h42

O Estadão promove nesta sexta-feira, 12, um debate entre os pré-candidatos do PSDB à Presidência da República em 2022. Único partido a realizar eleições internas para a escolha do nome que será lançado na disputa pelo Palácio do Planalto, a sigla tucana quer se firmar como alternativa no cenário de candidaturas que se apresentam no campo da chamada terceira via. 

"O País precisa de uma alternativa séria para superar essa crise que já dura quase uma década", disse o presidente nacional do partido, Bruno Araújo. "Com as prévias, o PSDB, de forma transparente, democrática, se apresenta aos brasileiros. Com a coragem de enfrentar os problemas, as divergências. O debate do Estadão é uma ótima oportunidade para que os problemas do Brasil sejam discutidos de forma séria. Os nossos pré-candidatos terão a chance de mostrar ao Brasil que é possível, sim, encontrar uma alternativa ao caos que vivemos hoje."

O evento, a partir das 12h, vai reunir, no auditório do Estadão, os governadores João Doria (SP) e Eduardo Leite (RS), além do ex-senador Arthur Virgílio (AM). O debate terá a participação de jornalistas do Estadão e da Rádio Eldorado. A mediação será de Eliane Cantanhêde. A cobertura será feita em tempo real pelas diversas plataformas do Grupo Estado e também pelas redes sociais. A TV Estadão fará a transmissão ao vivo.  Acompanhe pelo link abaixo:

O encontro entre os postulantes tucanos vai ocorrer em um momento decisivo das prévias, já que o cadastramento dos eleitores no aplicativo da sigla encerra as inscrições no domingo, 14. A expectativa entre as lideranças do partido é que o encontro ajude a ampliar o colégio eleitoral.

Segundo a assessoria da legenda, até a noite desta quarta-feira, 10, apenas 25.202 eleitores preencheram o formulário e estão aptos a votar. O número é pequeno, já que o PSDB tem, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 1.361.192 filiados.

"Esse é o debate que acontece mais próximo ao final do credenciamento dos filiados, portanto vai ser acompanhado por muita gente. Na segunda-feira, dia 15, saberemos o tamanho do colégio eleitoral", disse o prefeito de Santo André, Paulo Serra, que coordena a campanha do governador Eduardo Leite (RS) em São Paulo. 

Presidente do PSDB paulista e um dos coordenadores da pré-campanha de João Doria nas prévias, o secretário de Desenvolvimento Regional de São Paulo, Marco Vinholi, também considera que o debate vai ocorrer em um momento chave do processo. "O encontro vai conectar ainda mais a militância com as prévias", afirmou. 

Doria e Leite protagonizam a disputa principal nas primárias. Nos últimos dias, o confronto direto entre eles se acirrou, gerando acusações mútuas. 

"Doria começa seus eventos sempre pedindo uma salva de palmas para seus adversários. Sua postura será manter essa construção da unidade e apresentar suas propostas para o Brasil", disse Vinholi. 

Paulo Serra afirmou que o governador gaúcho vai adotar um tom "conciliador" e "pacificador" no evento. Ele avalia, porém, que podem surgir temas "espinhosos" durante as discussões.

Dividido em cinco blocos, o debate terá duração aproximada de uma hora, com perguntas livres e temáticas, propostas por representantes da sociedade civil e pelos jornalistas. Por precaução, ainda em razão da pandemia de covid-19, o evento não terá presença de público. Cada candidato poderá estar acompanhado por, no máximo, cinco convidados, dois assessores e um fotógrafo. Todos deverão respeitar os protocolos de segurança sanitária.

A escolha do PSDB é aguardada com expectativa não apenas entre seus filiados. Os demais partidos que afirmam buscar uma terceira via contra a polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva avaliam as prévias como uma primeira etapa de afunilamento das pré-candidaturas colocadas até aqui. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.