Prévias do PMDB pode virar consultar

O PMDB poderá transformar as prévias que realiza neste domingo para a escolha do candidato à presidência da República em consulta, caso o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Edison Vidigal, restabeleça a proibição das eleições internas do partido. Vidigal voltou neste sábado a Brasília de sua viagem ao Maranhão para analisar a decisão do ministro Amilton Carvalhido de manter as prévias. O presidente do partido, Michel Temer (SP), anunciou que recorrerá de qualquer decisão contra as prévias."Mesmo se houver uma ´Vidigada´ de última hora, a decisão não vai mudar. Amanhã haverá prévia, mesmo que seja uma consulta", afirmou o pré-candidato Anthony Garotinho (PMDB-RJ). Ele comemorou o despacho de Carvalhido de derrubar a liminar concedida por Vidigal na sexta-feira. "A decisão restabeleceu a autonomia do partido. Foi uma decisão jurídica", afirmou.Os dois pré-candidatos que disputam hoje a indicação do partido para a disputa pelo cargo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Temer trataram Vidigal como inimigo número um. Eles acusaram o ministro de ter agido em interesse próprio, porque quer ser candidato a governador do Maranhão com um petista na vice e de atender à solicitação de amigos governistas.Apelo"Faço um apelo a Vidigal. Quero que ele faça o exame com o foco exclusivamente jurídico para que não haja tensão entre o PMDB e o Judiciário", afirmou Temer, lembrando que muitos peemedebistas se deslocaram de seus locais para participar das prévias. Ele também sugeriu que o ministro continuasse fazendo suas visitas no Maranhão neste final de semana. O governador licenciado do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, que também disputa as prévias, disse que Vidigal não fez Justiça. "Todo mundo sabe das ligações políticas de Vidigal. Infelizmente ele mistura a sua posição política, suas amizades com o que não poderia misturar e faz uma interferência indevida", afirmou. O ministro Vidigal, por intermédio de sua assessoria, disse que não comentaria os ataques porque continuará julgando o caso. Em uma palestra feita na noite de sexta-feira em Imperatriz (MA), Vidigal defendeu a posição que adotou, demonstrando que deverá manter a proibição das prévias. Uma eventual decisão de Vidigal, no entanto, só seria divulgada na noite de hoje.Temer pediu que a divulgação de qualquer decisão seja rápida para que haja tempo de recurso. O presidente do PMDB afirmou estar seguro quando a decisão de Carvalhido, que derrubou a liminar de Vidigal contra as prévias. "É tão consistente, que não será possível derrubá-la pela forma jurídica", afirmou Temer. Ele argumentou que a suspensão das prévias feitas por Vidigal anteriormente fere a autonomia dos partidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.