Previ diz que não está negociando dívida com a União

A Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil) informou nesta segunda-feira que ?não houve ou há processo de negociação entre a entidade e o governo sobre o pagamento de impostos relativos a fatos geradores ocorridos até o último dia 31 de agosto?.O presidente da instituição, Luiz Tarquínio Sardinha, optou por uma nota oficial para responder a matéria veiculada em jornal do Rio afirmando que o governo conta com R$ 1,7 bilhão em Imposto de Renda atrasado do fundo de pensão para cumprir nova meta de superávit primário, que atingiria R$ 50,64 bilhões (ou cerca de 4%% do PIB).De acordo com a nota, ?qualquer procedimento que a Previ venha a adotar sobre o assunto resultará de análises fundamentadas de suas instâncias decisórias quanto ao ambiente legal e judicial, bem como à conveniência econômica da decisão correspondente?. Segundo a matéria, em dezembro do ano passado o fundo de pensão fez um acordo com a Receita para iniciar o pagamento do Imposto de Renda corrente, sem decisão em relação ao montante atrasado. O novo acordo garantiria o pagamento da Previ sem multas.Os recursos de R$ 1,7 bilhão seriam, segundo a matéria, equivalentes a 87,63% do esforço adicional do governo para aumentar o superávit de R$ 48,7 bilhões, definidos anteriormente, para os R$ 50,64 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.