Preterido no PRB, Marcos Cintra vai assumir cargo em secretaria de Alckmin

Ex-liderança da sigla vai chefiar coordenadoria da pasta de Denvolvimento Econômico do governo de SP

Ricardo Chapola, O Estado de S. Paulo

02 de julho de 2013 | 17h03

Texto atualizado às 22h04

SÃO PAULO - O ex-secretário de Finanças da cidade de São Paulo Marcos Cintra vai chefiar a maior coordenadoria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do governo de Geraldo Alckmin (PSDB). A pasta é comandada por Rodrigo Garcia (DEM), e tem orçamento de R$ 12,9 bilhões em 2013.

Cintra foi preterido pelo PRB na costura da aliança com Alckmin em maio, em negociação que abrigou o partido na secretaria de Desenvolvimento Social do governo tucano, cujo orçamento é de R$ 915 milhões. O anúncio oficial de Cintra no comando da coordenadoria deve ser feito por Alckmin até o fim da semana.

O convite para que Cintra integrasse os quadros da pasta foi feito pelo secretário Rodrigo Garcia (DEM). Segundo o secretário, não há motivações políticas na escolha de Cintra, que será responsável por coordenar os parques tecnológicos do Estado.

"O convite foi feito e não tem nenhuma motivação política. Mas foi feito porque acreditamos que ele é uma pessoa qualificada para engrandecer os quadros técnicos da secretaria. Temos também uma boa relação", disse Garcia ao Estado.

O ex-secretário se desfiliou do PRB depois de desentendimentos com lideranças do partido na costura do apoio a Alckmin. O nome de Cintra foi aventado, em maio, nas negociações com o Palácio dos Bandeirantes para ocupar um cargo na administração estadual em troca do apoio da legenda à reeleição do tucano em 2014. Mas o indicado pelo PRB acabou sendo o empresário Rogério Hamam para a Secretaria de Desenvolvimento Social.

Somado a esse mal-estar, pessoas próximas a Cintra afirmam que há rusgas do ex-secretário com o partido por ele ter sido obrigado a abandonar o cargo da presidência estadual da sigla. Ele havia se filiado ao PRB no começo do ano. A filiação fazia parte da estratégia do PRB de tentar descolar sua imagem da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).

Na noite desta terça-feira, 2, a assessoria de imprensa do PRB divulgou uma nota na qual nega que Cintra tenha sido obrigado a sair da presidência do diretório estadual. Segundo o texto, o ex-secretário deixou o cargo por livre e espontânea vontade. A nota também traz elogios a Cintra.

"Hoje mesmo o PRB recebeu o pedido de desfiliação do economista, que até a presente data compunha as fileiras do partido. Reiteramos nosso apreço pelo Cintra por sua história de sucesso nos campos acadêmico e político. Desejamos que ele continue contribuindo com seu vasto conhecimento em projetos que beneficiem a população", diz o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.