Prestação antecipada de contas ainda não pegou

Novidade na eleição deste ano, a prestação antecipada de contas de campanha ainda não pegou. Dos 362.154 candidatos que disputam cargos de prefeito e vereador nos 5.562 municípios onde haverá eleição, apenas 4 concorrentes optaram por antecipar as informações à Justiça Eleitoral.Autor da idéia, o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Fernando Neves acredita que na próxima eleição, que é nacional, haverá mais adesão dos candidatos a presidente, governador e parlamentares. Nos anos anteriores, as declarações dos candidatos eram entregues à Justiça depois da votação. Pelo jeito, neste ano, isso continuará a ocorrer com a maioria dos políticos."Nunca tivemos pretensão de que fosse adotado (o método de prestação de contas antecipada) pela maioria das pessoas", afirmou Fernando Neves, ressaltando que os candidatos não foram obrigados a aderir à novidade. "Mas acredito que na próxima eleição terá um resultado maior até pela característica do pleito", disse. O ex-ministro do TSE considera, no entanto, que foi dado um primeiro passo. "A vantagem é a transparência do processo eleitoral", opinou Neves. Ao prever que os candidatos poderiam informar durante a campanha as doações recebidas e os gastos feitos, o TSE pretendia garantir que antes de votar o eleitorado tivesse informações sobre a campanha dos candidatos, como os nomes dos financiadores. No entanto, a adesão neste ano foi muito pequena.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.