Pressa para julgar habeas é de Arruda, diz relator do STF

De acordo com o ministro Marco Aurélio Mello, o recurso deve ser julgado na próxima semana

estadao.com.br,

25 Fevereiro 2010 | 16h07

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello justificou o adiamento do julgamento do pedido de habeas corpus do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), que estava marcado para esta quinta-feira, 25, no plenário da Corte. Mello acrescentou que a parte interessada na celeridade do julgamento é a defesa de Arruda. "Interessado no caso de indeferimento da liminar e de envolvimento de pessoa presa é o próprio impetrante. Ele é que norteia a celeridade do processo", explicou.

 

Veja também:

linkComissão aprova processo contra deputado da meia no DF

linkArruda pede que Supremo adie julgamento

linkSTF não descarta hipótese de intervenção

especialEntenda a operação Caixa de Pandora

 

De acordo com o ministro, o recurso foi enviado ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e deve ser julgado na próxima semana. "Emprestarei preferência na forma regimental, já que temos envolvido preso."

 

Segundo o magistrado, houve um "aditamento" ao recurso inicial, com a inclusão dos votos dos ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que decretaram, há duas semanas, a prisão preventiva de Arruda.

 

A manutenção da prisão de Arruda, em caso de renúncia, será analisado pelo STJ, informou Mello. "O relaxamento da prisão cumpre ao Superior Tribunal de Justiça. O que vou apreciar aqui é a legalidade ou a ilegalidade da prisão."

 

Com informações da Agência Brasil

Mais conteúdo sobre:
mensalãoDFCâmaraSTFArruda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.