Presos vereadores por suspeita de propina na Grande SP

A Polícia Civil prendeu ontem três vereadores de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, durante sessão da Câmara Municipal, por causa de supostos pagamentos de propina em troca do cancelamento de dívidas com a prefeitura. Os investigadores da Delegacia Seccional de Taboão detiveram no plenário Carlos Aparecido de Andrade (PV), Arnaldo Clemente dos Santos (PSB) e José Luis Eloi (PMDB).

AE, Agência Estado

04 de maio de 2011 | 08h09

A prisão temporária dos suspeitos foi decretada pela Justiça de Taboão da Serra. As investigações da polícia contra os vereadores começaram há dois meses, depois da prisão de um funcionário da prefeitura. Ele era acusado de receber propina para cancelar dívidas de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e outros impostos municipais. O grupo exigiria 30% do valor devido aos cofres públicos para retirar o nome do devedor do cadastro e sumir com as informações sobre a dívida.

Só neste ano a polícia encontrou indícios de que o bando teria recebido propinas no valor de R$ 1 milhão. Os suspeitos ainda não haviam sido ouvidos pela polícia no inquérito do caso até as 21 horas de ontem.

A reportagem procurou os suspeitos, mas no início da noite ninguém atendia nos gabinetes dos três vereadores. No site de José Luiz Eloi consta que "com ética, dignidade e honestidade Eloi iniciou sua trajetória política ainda muito jovem participando de movimentos estudantis".

Carlos Andrade é presidente da Comissão de Educação, Saúde Pública e Assistência Social da Câmara de Taboão e vice da Comissão de Obras. Também foi secretário municipal de Transportes e Trânsito de 2005 a 2008. De acordo com o delegado Youssef Abou Chahin, diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro), as investigações apontam para a possível existência de outros envolvidos no caso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
vereadoresprisãoTaboãopropina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.