Presos vereadores de Igarapava-SP por suposta extorsão

Quatro dos nove vereadores da pequena Igarapava, município paulista da região de Ribeirão Preto, foram presos hoje acusados de concussão (extorsão cometida por funcionário público no exercício de suas funções) e formação de quadrilha. O grupo é suspeito de exigir um "mensalinho" do prefeito Francisco Tadeu Molina (PSDB) para aprovar projetos, orçamentos e contas. O prefeito foi arrolado como vítima no caso, mas também deverá ser investigado. O presidente da Câmara, Alan Kardec de Mendonça (PSDB), está foragido.

BRÁS HENRIQUE, Agencia Estado

18 de março de 2009 | 18h46

Um dos presos responde processo criminal, acusado de ser um dos mandantes da morte do prefeito Gilberto Soares dos Santos (PSDB), o Giriri, ocorrido em outubro de 1998. Promotores do Grupo de Atuação Especial Regional para Prevenção e Repressão ao Crime Organizado (Gaerco), de Franca, investigaram o caso nas duas últimas semanas, a partir de uma denúncia anônima. Com autorização judicial, houve monitoramento de escutas telefônicas e gravações em áudio e vídeo de reuniões para confirmar as irregularidades.

Os vereadores presos são José Laudemiro (DEM), José Eurípedes (PT), Roberto Silveira (PSDB) e Sergio Augusto de Freitas (PTB). Eles devem ser levados ainda hoje para cadeias da região, provavelmente em Franca, pois a de Igarapava está desativada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.