Presos três ex-policiais acusados de tentar matar o presidente do TRE de Sergipe

Pistoleiros confirmaram terem sido contratados por agiota inimigo do desembargador Luiz Mendonça, vítima de atentado em agosto

Antonio Carlos Garcia, especial para O Estado de S.Paulo,

26 de novembro de 2010 | 12h51

ARACAJU - A Polícia Civil de Sergipe prendeu três ex-policiais militares pernambucanos acusados de tentar matar o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Luiz Mendonça, no dia 18 de agosto em Aracaju.

 

Os três foram presos na quinta-feira, 25, à tarde, em Petrolina (PE), e estão retornando para capital sergipana. Eles já confirmaram à polícia que o mandante do crime foi o agiota e empresário Floro Calheiros, que reside no município de Teixeira de Freitas, sul da Bahia. Floro, inimigo de Luiz Mendonça, está foragido da Justiça sergipana desde 20 de dezembro do ano passado.

 

Com a prisão dos três pistoleiros, a polícia sergipana disse que elucida não apenas o atentado a Luiz Mendonça, como também a fuga de Floro Calheiros, quando este estava internado no Hospital São Lucas.

 

Nesta sexta-feira, 26, à tarde, a Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP) marcou uma entrevista coletiva para contar detalhes das investigações.

 

No atentado, o desembargador Luiz Mendonça saiu ileso, mas o seu motorista, o cabo da Polícia Militar, Jailton Pereira, 43, levou um tiro na cabeça, passou quatro meses internado e teve alta na semana passada e hoje está em casa. Jailton perdeu os movimentos do lado esquerdo do corpo e está fazendo fisioterapia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.