Presos prefeito e mais 1 por fraude com remédios no PA

Pelo menos duas pessoas foram presas hoje no Pará sob acusação de envolvimento com grupos de empresas fornecedoras de medicamentos que, em conluio com a administração de municípios do Estado, negociavam remédios sem qualquer procedimento licitatório. Segundo a Polícia Federal (PF), entre os presos estão o irmão do prefeito de Bujarú, que estava em sua casa com uma arma do acervo da Polícia Civil, e o prefeito de Terra Alta, encontrado com remédios em sua residência.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

23 de novembro de 2010 | 12h49

Cerca de 260 agentes da PF cumpriram 59 mandados de busca e apreensão em dez municípios paraenses, inclusive na capital. Dentre os locais de busca estão as sedes de seis prefeituras e de secretarias de Saúde, as residências dos prefeitos de Bujaru, Colares, Magalhães Barata, São Domingos do Capim, Santo Antônio do Tauá e Terra Alta, de 12 secretários municipais e de três vereadores, além de fornecedores e contadores.

Escritórios de contabilidade e sedes das empresas envolvidas também foram alvo da operação, bem como uma organização não-governamental (ONG) ligada a um deputado estadual paraense. Conforme a PF, a quadrilha utilizava quatro empresas "fantasmas" do Grupo Noronha, de Castanhal. Trinta pessoas já foram identificadas como responsáveis pelos crimes e serão indiciadas ainda nesta semana, dentre elas os prefeitos dos municípios investigados.

Tudo o que sabemos sobre:
saúdeoperaçãoPFmedicamentosPA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.