Presos na Operação Lava Jato são levados para Curitiba

Dez pessoas ainda estão sendo procuradas; os 36 investigados nessa fase da operação tiveram R$ 720 mi em bens bloqueados

Thaise Constancio , O Estado de S. Paulo

15 de novembro de 2014 | 09h11

RIO - Os quatro presos temporariamente no Rio na Operação Lava Jato, um esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado R$ 10 bilhões da Petrobrás, chegaram à Curitiba por volta das 5h30 deste sábado, 15. Os presos deveriam ter sido transferidos na noite dessa sexta-feira, 14, mas o voo, que partiu do Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador (zona norte) atrasou por um problema mecânico.

Ao todo foram cumpridos 17 mandados de prisão temporária e preventiva. Dez pessoas ainda são procuradas.

Entenda. Quatro presidentes de grandes empreiteiras, 15 executivos e um ex-diretor da Petrobrás ligado ao PT tiveram prisões decretadas nesta sexta-feira, 14, em uma ação policial de proporções inéditas no País. Foi a sétima etapa da Operação Lava Jato, batizada de Juízo Final, cujo principal objetivo é buscar provas contra corruptores.

Nove construtoras que estão entre as maiores doadoras de campanhas e concentram as obras públicas mais vultosas do Brasil tiveram suas sedes vasculhadas pela força-tarefa que apura desvios na Petrobrás.

O cartel de empresas sob suspeita amealhou, mediante fraudes e pagamento de propinas, o equivalente a R$ 59 bilhões em contratos na estatal petrolífera, segundo os investigadores.

Os 36 investigados nessa fase da operação tiveram R$ 720 milhões em bens bloqueados.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Lava JatoPetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.