Presos fazem reféns em penitenciária de MG

Cerca de 50 presos da Penitenciária Nelson Hungria, em Nova Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, iniciaram nesta tarde uma rebelião em seis pavilhões da unidade e mantinham, até por volta de 18h30, sete carcereiros e dois operários como reféns. Segundo a Secretaria Estadual de Justiça, o movimento era comandado por onze detentos de um dos pavilhões, que estavam na unidade prisional de Ipaba, no Vale do Aço, e foram transferidos ontem para a Nelson Hungria. Os líderes dominaram os carcereiros e dois funcionários de uma empresa de construção que faziam obras na penitenciária, e libertaram 317 colegas. A maior parte dos presos ficou nos pátios e garantiu não fazer parte do movimento. Outros 50, no entanto, com os rostos encobertos, assumiram a rebelião. O diretor da Nelson Hungria, Salvador Mazano, informou que o grupo exigia transferências para presídios de Uberlândia, Ipaba e Teófilo Otoni. Quatro detentos tentaram fugir, aproveitando a confusão, mas foram impedidos pelos cerca de 150 homens da Polícia Militar que cercaram o prédio. No final de março, a Nelson Hungria foi palco de outra rebelião, na qual 60 visitantes dos presos foram feitos reféns. O movimento teve fim depois de 18 horas de negociações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.