Preso no caso Dantas pede habeas-corpus no tribunal de SP

Ele é réu confesso no caso de tentativa de suborno de delegado da PF para deixar Dantas fora de investigação

Eduardo Reina, de O Estado de S. Paulo

22 de julho de 2008 | 18h57

Réu confesso no caso de tentativa de suborno de delegado da Polícia Federal, Hugo Sérgio Chicaroni, tenta um habeas-corpus para deixar a cadeia. Ele está preso desde o dia 8, por tentar pagar propina de US$ 1 milhão para que o banqueiro Daniel Dantas e seus familiares não fossem incluídos na Operação Satiagraha. O pedido foi entregue nesta terça-feira, 22, no Tribunal Regional Federal de São Paulo pelo advogado Alberto Carlos Dias.   Veja também: Ouça trechos da reunião que decidiu a saída do delegado  Entenda como funcionava o esquema criminoso  Veja as principais operações da PF desde 2003  As prisões de Daniel Dantas    "O objeto do HC é pela violação constitucional do princípio de isonomia. Ele confessou (que tentou subornar o delegado) e já foi denunciado. As outras pessoas investigadas pela Polícia federal cometeram outros crimes, contra o sistema financeiro, gestão fraudulenta e formação de quadrilha, por exemplo. Não é correto que ele permaneça preso enquanto os outros já estão em liberdade", alegou Dias.   Na semana passada, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, recusou estender a Chicaroni o habeas corpus que livrou da prisão Dantas e outros investigados pela PF, como o investidor Naji Nahas e o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta. Dias justificou no seu pedido que Chicaroni possui ocupação, é arrio de família e tem bons antecedentes. "Seria uma antecipação de pena mantê-lo preso."   O TRF já negou habeas-corpus para o outro acusado de tentar subornar o delegado da PF, Humberto Braz, apontado como o braço direito de Dantas. Para não aceitar o pedido de liberdade, a desembargadora Ramza Tartuce entendeu que o pedido de prisão preventiva contra Braz está suficientemente fundamentado.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação SatiagrahaDaniel Dantas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.