Preso filho de Jerominho acusado de liderar milícia no Rio

Guimarães é um dos líderes da milícia que se intitula Liga da Justiça e que atua na zona oeste do Rio

FABIANA MARCHEZI, Agencia Estado

18 de setembro de 2008 | 14h47

Policiais da 35ª Delegacia de Polícia, em Campo Grande, no Rio de Janeiro, prenderam nesta quinta-feira, 18, em Barbacena, Minas Gerais, Luciano Guinâncio Guimarães, filho do vereador  Jerominho. De acordo com as primeiras informações da Secretaria de Segurança do Estado, Guimarães é um dos líderes da milícia que se intitula Liga da Justiça e que atua na zona oeste da capital fluminense.   Veja também: Filho de vereador Jerominho é acusado de comandar mortes no Rio Relatório aponta 171 comunidades dominadas por milícias no EstadoJerominho Guimarães (PMDB) e o deputado  Natalino Guimarães  (expulso do DEM), ambos ex-inspetores da Polícia Civil, estão presos na penitenciária Bangu 8 sob acusação de chefiarem a Liga da Justiça. Luciano, que estava foragido da Justiça Estadual, é acusado de comandar a milícia na ausência do pai e do tio.    A polícia do Rio investiga a possível ligação entre a prisão da candidata a vereadora Carminha Jerominho (PT do B), acusada de pertencer a um grupo de milicianos que atua na zona oeste do Rio, a Liga da Justiça, e o assassinato do porteiro do condomínio onde ela mora. Uanderson Luiz Porto foi morto com oito tiros no sábado, um dia depois de Carminha ter sido presa, em casa, pela Polícia Federal. Ele teria informado aos agentes onde morava a candidata. Este seria, segundo as investigações policiais, o 106º homicídio cometido a mando do grupo.Ela é filha do vereador Jerominho Guimarães (PMDB) e sobrinha do deputado Natalino Guimarães (expulso do DEM), ambos ex-inspetores da Polícia Civil e presos na penitenciária Bangu 8 sob acusação de chefiarem a Liga da Justiça. Carminha havia se mudado para o condomínio Girassol, em Campo Grande, na zona oeste, na terça-feira. Três dias depois foi presa. Porto foi assassinado no dia seguinte.

Tudo o que sabemos sobre:
milíciaRio de JaneiroJerominho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.