Presidentes de 13 comissões são eleitos na Câmara

A Câmara instalou e elegeu o presidente e vices de 13 comissões permanentes nesta quarta-feira, 14. A questão do apagão aéreo foi debatida em pelo menos duas delas, a de Viação e Transportes e a de Defesa do Consumidor. Deputados que integram essas comissões defenderam que o caos aéreo no País seja um dos primeiros assuntos a serem tratados pelos parlamentares. O deputado Cezar Silvestri (PPS-PR), que assumiu a presidência da Comissão de Defesa do Consumidor, disse que deverá realizar uma audiência pública para debater o assunto. Silvestri também disse que a proposta que acaba com a assinatura básica dos telefones fixos é um outro assunto que os deputados da comissão pretendem debater em breve. "A comissão tem o dever de tentar resolver o problema. O assunto tem de vir à pauta", afirmou Silvestri. Na comissão de Viação e Transportes, o presidente eleito foi o deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS), ex-ministro dos Transportes do governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. Na comissão de Agricultura a preocupação foi com o nome que assumirá o Ministério da Agricultura na reforma ministerial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente da comissão, Marcos Montes (PFL-MG), defendeu que o próximo ministro seja alguém voltado ao meio rural e que "viva o dia-a-dia da atividade rural". O ministro das Cidades, Márcio Fortes, foi prestigiar a instalação da Comissão de Desenvolvimento Urbano, que elegeu o deputado Zezéu Ribeiro (BA) para a presidência. Sanguessuga A Comissão de Desenvolvimento Econômico elegeu como presidente Wellington Fagundes (PR-MT), um deputado acusado pela CPI das Sanguessugas de envolvimento no escândalo da compra de ambulâncias superfaturadas com dinheiro do Orçamento. O deputado nega envolvimento. O Conselho de Ética da Câmara aprovou o arquivamento do processo de cassação do parlamentar no ano passado. O deputado Nilson Pinto (PSDB-PA) assumiu a presidência da Comissão do Meio Ambiente; o deputado Virgílio Guimarães (PT-MG), o comando da Comissão de Finanças e Tributação, e o deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP) foi eleito presidente da Comissão do Trabalho. O deputado Celso Russomano ficou com a Comissão de Fiscalização Financeira, Gastão Vieira (PMDB-MA) com a Comissão de Educação; Júlio Semeghini (PSDB-SP) foi eleito presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia e o deputado José Otávio Germano (PP-RS) vai comandar a Comissão de Minas e Energia. Faltam sete Ainda na tarde desta quarta-feira, devem ser instaladas as sete comissões permanentes que faltam e, em seguida, seus presidentes serão eleitos. Por falta de acordo, a definição das comissões da Amazônia e de Seguridade Social foi adiada para esta tarde. A comissão da Amazônia deverá ser presidida pela deputada Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), que disputava a vaga com o deputado Marcelo Serafim (PSB-AM). Os partidos dos dois deputados formam o bloco parlamentar que tem o direito de comandar a comissão de acordo com a distribuição partidária das comissões. Para a Comissão de Seguridade Social deverá ser eleito o deputado Jorge Tadeu Mudalen (PFL-SP). O deputado foi investigado pela CPI do Orçamento que funcionou em 1993 e 1994. Mudalen foi mencionado pelo economista José Carlos Alves dos Santos, que denunciou o esquema de desvio de dinheiro do Orçamento. O nome de Mudalen também apareceu dos documentos da empreiteira que era suspeita de pagar propina aos parlamentares. No relatório final, a CPI encaminhou o nome do deputado para a Mesa da Câmara avaliar o prosseguimento das investigações. A Mesa, no entanto, decidiu não investigar e arquivou o caso. O deputado negou envolvimento no desvio de dinheiro. Nesta tarde, a comissão de Segurança Pública deverá eleger como presidente o deputado João Campos (PSDB-GO), a de Direitos Humanos, o deputado Luiz Couto (PT-PB), a de Turismo, a deputada Lídice da Mata (PSB-BA), a de Relações Exteriores, o deputado Vieira da Cunha (PDT-RS) e a de Legislação Participativa, o deputado Eduardo Amorim (PSC-SE).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.