Presidentes da AL se reúnem antes da visita de Bush

Presidentes latino-americanos de países críticos e amigos de Washington se encontram nesta sábado, 3, na Guiana, para uma reunião de cúpula, a poucos dias da chegada do presidente norte-americano, George W. Bush, a uma dividida América Latina. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou no país nesta sexta-feira. Convocada sob o lema de estreitar relações e aprofundar a democracia, a reunião do Grupo do Rio - mecanismo de consulta política regional - reunirá inimigos dos Estados Unidos, como o venezuelano Hugo Chávez, e sólidos aliados, como o mexicano Felipe Calderón. Há algumas semanas, os dois trocaram ataques depois que o mexicano criticou o intervencionismo estatal na economia venezuelana, que Chávez diz querer guiar para o socialismo. Caracas também mantinha péssimas relações com o antecessor de Calderón, Vicente Fox, a quem Chávez chamou no ano passado de "filhote do império", levando a uma mútua retirada de embaixadores. Depois de um 2006 cheio de eleições presidenciais, a América Latina ficou dividida entre os adeptos de Washington, que incluem também Peru e Colômbia; os críticos, como Bolívia e Equador; e os que mantêm boas relações com ambos os grupos, entre eles Brasil, Chile e Argentina. Chegada de Bush Bush chega na quinta-feira, 8, ao Brasil para depois fazer escalas no Uruguai, na Colômbia, na Guatemala e no México. O presidente norte-americano será recebido pelos respectivos chefes de Estado, mas também por várias manifestações contra ele. Chávez prometeu participar de uma passeata na Argentina em repúdio à presença do líder norte-americano no vizinho Uruguai. O ato inaugural da 19ª Cúpula do G-Rio, criado em 1986, será na noite desta sexta-feira, com a presença de oito chefes de Estado, segundo o governo do país anfitrião, que representa o Caribe no Grupo do Rio. "Tivemos amplas conversações sobre os principais temas que propusemos, especialmente sobre as assimetrias no hemisfério e nos níveis de desenvolvimento dos países e como podemos remediá-las", disse nesta sexta-feira a jornalistas o chanceler da Guiana, Rudy Insanally, em referência às reuniões ministeriais prévias ao encontro. Reuniões bilateraisEntre as reuniões bilaterais paralelas, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, deve se reunir no sábado de manhã com o brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, com Calderón e com o chanceler argentino, Jorge Taiana, segundo sua assessoria. Não se sabe ainda se Chávez vai se encontrar com Lula, a quem na semana passada prometeu enviar um pouco de enxofre para quando receber "o diabo", como o venezuelano costuma se referir a Bush.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.