Presidente visita Vavá, irmão investigado pela PF

Na manhã de ontem, o presidente Lula encontrou tempo para visitar o irmão Genival Inácio da Silva, o Vavá, que em junho foi alvo da Operação Xeque-Mate e teve a casa vasculhada pela Polícia Federal. Por volta das 10 horas, Lula e a primeira-dama Marisa Letícia foram à residência de Vavá, no bairro Paulicéia, também em São Bernardo do Campo. Não passaram lá mais do que 15 minutos - Lula tomou um cafezinho e, em seguida, retornou para o seu apartamento.O irmão mais velho de Lula, que sofre de artrose, passou por uma cirurgia no fêmur, segundo relato de sua mulher. Ela contou que a operação ocorreu há cerca de um mês e a recuperação vai demorar pelo menos mais dois meses. Vavá, que evita entrevistas desde que o escândalo veio à tona, se recusou a receber os repórteres.Lula foi visto pela última vez no bairro um mês depois que a Polícia Federal deflagrou a Xeque-Mate, operação que investigou esquema irregular de máquinas caça-níqueis. Na ocasião, agentes apreenderam documentos na casa de Vavá. Segundo avaliação da Polícia Federal, eles indicavam prática de lobby para empresários do jogo.GRAMPOA PF havia grampeado conversas telefônicas de Vavá, principalmente com um dos acusados de ser o chefe da máfia dos caça-níqueis, Nilton Cezar Servo. Em um dos trechos interceptados, Vavá cobra: "Ô, arruma dois pau pra eu?" A frase foi interpretada como um pedido de propina. Em outros trechos, ele faz questão de lembrar que é irmão do presidente e sugere exercer influência em Brasília.Embora tenha sido indiciado pela PF, Vavá não foi denunciado pelo Ministério Público, sob alegação de que não havia provas suficientes. Na época, ao avaliar a situação do irmão, Lula distinguiu Vavá dos outros indiciados na operação da PF, chamados por ele de "cardume de pintados". "O Vavá nessa história me parece mais um lambari que foi pego. Qual é a vantagem? É um lambari especial, porque é irmão do presidente da República", afirmou.O presidente passou o período da tarde em seu apartamento. Vavá ainda recebeu a visita da filha do presidente, Lurian, seu marido e dois filhos.

Paulo Darcie, O Estadao de S.Paulo

03 de dezembro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.