Presidente recorre a Collor sobre Venezuela

Não foi só a crise do Senado que levou o ex-presidente Fernando Collor ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para um encontro na sede provisória do governo, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Lula quer reverter a posição contrária de Collor à entrada da Venezuela no Mercosul, mas continua encontrando resistências dele. Para o ex-presidente, Hugo Chávez representa um governo antidemocrático.Ainda na terça-feira, antes de se encontrar com Lula, Collor comentou com o presidente da comissão de Relações Exteriores do Senado, Eduardo Azeredo (PSDB-MG), outro crítico à entrada da Venezuela, que recentes medidas autoritárias adotadas por Chávez não contribuíam para a aprovação do ingresso do país no bloco. Foi no governo de Collor que o Mercosul foi criado, em 1991 - o processo de integração começou no governo Sarney.Lula, anteontem, tentou convencê-lo do contrário, apresentando os argumentos do governo e lembrando da necessidade de produzir fatos novos no Senado para que a crise saia da pauta. Lembrou que a Petrobrás correu a fim de fechar o acordo para a construção da refinaria em Pernambuco, mas ainda existem outros impedimentos.A preocupação do governo com a possibilidade de derrota tem suas razões. Além de a comissão ser presidida por um senador de oposição, lá há muitos parlamentares contrários à entrada da Venezuela, entre eles, o relator, Tasso Jereissati (PSDB-CE). O governo pensou em pôr outro interlocutor para tratar do assunto com Collor. Mas ele, com o cacife de ex-presidente, sinalizou que o tema teria de ser tratado diretamente por ele, senador, com o presidente da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.