Presidente recomendou que eu mantenha a cabeça fria, diz Palocci

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, afirmou que as novas acusações feitas contra ele pelo caseiro Francenildo Santos Costa têm "interesses políticos". Na edição de hoje do Estado, o caseiro desmente as declarações do ministro sobre seu relacionamento com a República de Ribeirão. "O presidente me recomendou que ficasse com a cabeça fria", disse o ministro à Agência Estado.Ele reafirmou que não frequentou a casa localizada no Lago Sul, área nobre de Brasília. O caseiro, conhecido como Nildo, contou ao Estado que a mansão - alugada por Vladimir Poletto, ex-assessor da prefeitura de Ribeirão - era usada para partilha de dinheiro e que Palocci era freqüentador assíduo do imóvel, onde todos o chamavam de ?chefe?. O grupo formado pelos ex-assessores de Palocci quando comandou a prefeitura de Ribeirão Preto é conhecido como República de Ribeirão. Nildo revelou detalhes da rotina de funcionamento da casa, os cuidados tomados quando Palocci ia até lá dirigindo um Peugeot que, segundo o caseiro, pertencia a Ralph Barquete, ex-assessor de Palocci em Ribeirão já falecido. "Não guio, nem nunca guiei automóvel em Brasília", afirmou. O ministro reafirmou que não disputará as eleições de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.