Presidente peruano vem ao Brasil fechar acordos de defesa

O presidente do Peru, Alan Garcia, chega nesta quinta-feira ao Brasil para uma visita de dois dias ao país. Junto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ele deve assinar 13 acordos de cooperação em várias áreas, como defesa, energia, educação, biotecnologia, saúde e social.Na área de defesa, os dois países devem assinar acordos para trocar informações e inteligência estratégica. Um deles, que prevê o fornecimento ao Peru de dados coletados pelo Sivam (Sistema de Vigilância da Amazônia), ainda estava sendo negociado nesta quarta-feira à noite e havia dúvidas se ele seria realmente assinado.Um acordo deste tipo vem sendo negociado entre os dois países desde a primeira viagem do presidente Lula ao Peru, em agosto de 2003, quando o país assinou um acordo de livre comércio com o Mercosul. O Peru também integra o G20, o grupo de países com interesses agrícolas na Organização Mundial do Comércio (OMC) liderado por Brasil e Índia. Segundo o governo brasileiro, Brasil e Peru ?têm interesse em reforçar e ampliar a aliança estratégica, lançada em 2003, com ênfase no processo de integração regional?.O presidente Lula participou da posse de Garcia, em julho deste ano. O Brasil foi o primeiro país visitado por Alan Garcia após a eleição e Lula foi o primeiro presidente a telefonar para parabenizar o presidente eleito após a vitória.O presidente peruano vem ao Brasil acompanhado dos ministros das Relações Exteriores, José António García Belaúnde; do Comércio Exterior e Turismo, Mercedes Aráoz; da Defesa, Allan Wagner; de Energia e Minas, Juan Valdivia; dos Transportes, Verónica Zavala; da Habitação e Saneamento, Hernán Garrido-Lecca; e do Trabalho e Promoção do Emprego, Susana Pinilla.Nesta quinta-feira, Garcia terá uma reunião com Lula no Palácio do Planalto, será recebido em almoço no Palácio do Itamaraty e participa de uma sessão solene no Congresso.Na sexta-feira, o presidente peruano se encontra em São Paulo com representantes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e participa do encerramento de um encontro empresarial Brasil-Peru, na sede da entidade.O intercâmbio comercial entre os dois países aumentou bastante nos últimos anos. Passou de US$ 653 milhões em 2002 para R$ 1,5 bilhão nos primeiros nove meses deste ano.Há grandes empresas brasileiras atuando no Peru, especialmente no setor de construção civil e obras públicas, mineração e petróleo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.