REUTERS/Adriano Machado
REUTERS/Adriano Machado

Presidente garantiu apoio de 2/3 da base

Nas bancadas dos partidos aliados ao governo, Temer teve 234 votos a seu favor e 93 contra; maioria dos dissidentes pertence ao PSDB (21)

Daniel Bramatti, Cecília do Lago e Thiago Faria, O Estado de S.Paulo

03 Agosto 2017 | 03h26

BRASÍLIA - Dois em cada três dos integrantes dos partidos da base de apoio ao governo Michel Temer ajudaram o presidente a barrar a denúncia por corrupção passiva na Câmara. Nas bancadas das legendas aliadas, o peemedebista teve 234 votos a favor e 93 contra. Outros 20 se ausentaram ou não votaram, apesar de estarem presentes na sessão de ontem na Casa.

Mais da metade dos 93 “dissidentes” se concentraram em quatro partidos aliados do governo: PSDB (21), PSD (14), PR (9) e PPS (9). Já nas chamadas legendas independentes, que costumam votar com o Palácio do Planalto, mas não fizeram indicações para o primeiro escalão, Temer conseguiu colher o apoio de 44% dos deputados.

A oposição cerrou fileiras: 98% de seus integrantes se manifestaram pelo prosseguimento da denúncia – que, se fosse aceita no Supremo Tribunal Federal, levaria ao afastamento do presidente do cargo.

Dos 385 integrantes da “bancada BBB” (boi, bala e Bíblia), que se organizam para defender temas ligados ao agronegócio, à segurança pública e à religião, Temer obteve 57% dos votos. Votaram contra ele 38% desses deputados. Os demais 5% não participaram da votação.

Apenas um em cada cinco dos deputados ruralistas votou contra o presidente. Na “bancada do boi”, formada por pouco mais de 200 parlamentares, Temer obteve sete de cada dez votos. Às vésperas da votação, o presidente se reuniu com ruralistas e concedeu benesses econômicas a fazendeiros, como o parcelamento de dívidas e a redução de contribuição ao Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural).

Regiões. Na divisão dos votos por regiões, o presidente teve o maior porcentual de apoio no Centro-Oeste – onde o agronegócio domina a economia e também a política. Dos deputados da área formada por Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, 68% se alinharam a Temer na votação de ontem. A seguir vieram as regiões Norte (63% de apoio), Nordeste (48%), Sul (48%) e Sudeste (47%).

No ranking das bancadas estaduais que mais se alinharam ao presidente, Mato Grosso ficou em primeiro lugar, com 88%, seguido por Amazonas (75%), Roraima (75%), Goiás (71%) e Pará (71%). Somente em três Estados (Espírito Santo, Acre e Sergipe) a oposição reuniu mais de dois terços dos votos – o patamar necessário para aprovar o prosseguimento da denúncia contra o presidente.

A comparação do resultado final com os números do Placar do Estado mostrou que, dos deputados que não quiseram revelar a posição antes da votação, quase 70% terminaram por se alinhar a Temer. Apenas 21% votaram contra ele, e os demais se ausentaram ou se abstiveram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.