Presidente do TST quer apressar conclusão do Fórum de SP

Diante dos problemas que levaram ao fechamento do prédio do Tribunal Regional do Trabalho da Avenida Rio Branco ontem, em São Paulo, o presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Francisco Fausto, reiterou a necessidade de que seja concluída logo a construção do Fórum Trabalhista de São Paulo. A obra foi interrompida devido a irregularidades, e foi retomada em setembro passado. Parte da rede de esgotos do Fórum Trabalhista Rio Branco rompeu-se e escorreu pelas escadas, o que levou a presidente do TRT, juíza Maria Aparecida Pellegrina, a determinar, por meio de portaria, seu fechamento. O esgoto atingiu todos os andares do prédio e danificou parcialmente as instalações hidráulicas, os quadros de energia elétrica e os equipamentos de informática. Todos os julgamentos marcados para ontem e os prazos judiciais nas secretarias das 21 Varas do Trabalho do prédio foram suspensos. Após o conserto e a limpeza, o Fórum será reaberto nesta quarta-feira. Na última sexta-feira, o forro da 19ª Vara do Trabalho, que funciona no Fórum Cásper Líbero, também no centro da cidade, ficou danificado por causa das recentes chuvas. As 79 Varas da capital funcionam em cinco prédios antigos no centro da cidade. A presidente do TRT de São Paulo declarou que o problema no Fórum da Rio Branco é mais uma mostra do estado em que se encontram os Fóruns da Justiça do Trabalho na capital, o que justifica ainda mais a aceleração das obras de conclusão do novo Fórum Trabalhista, que abrigará as 79 Varas existentes e mais 11 que devem ter a criação aprovada pelo Congresso Nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.