Presidente do Supremo pede esclarecimentos ao Exército

Perplexo, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF),Marco Aurélio de Mello, pediu esclarecimento das denúncias envolvendo o serviço de inteligência do governo em ações de espionagens de movimentos sociais. Documentos revelados pelo jornal Folha de São Paulorevelam que o Movimento Sem Terra (MST) tem o mesmo tratamento dispensado a grupos de narcotraficantes e do crime organizado. Na avaliação de Marco Aurélio de Mello, as investigações demovimentos sociais só podem ser feitas se houver indícios de ligações com práticas ilícitas. "São fatos que certamente serão esclarecidos pela Ministério da Defesa", disse o ministro em tom de cobrança. "O que está estampado na Folha de São Paulo causa uma grande perplexidade."O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Rubens Approbato, disse que a revelação é de "arrepiar", pois lembra a época do autoritarismo. "Hoje, os detentores do poder sofreram com o regime militar (1964-1985)", afirmou. "Por isso, eles não podem ficar calados."Approbato ressaltou que, à época, o secretário-geral da Presidência, Aloysio Nunes Ferreira, teve de sair do país; o ministro da Justiça José Gregori, foi um lutador dos direitos humanos e o próprio presidente Fernando Henrique Cardoso sofreu na carne o problema. "Há um inimigo invisível que está corroendo a democracia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.