Divulgação
Divulgação

Presidente do STF manda PF transferir Funaro para Papuda

O lobista e doleiro estava preso desde 1º de julho na sede da Polícia Federal, após a Operação Sépsis, uma das etapas da Lava Jato

Gustavo Aguiar, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2016 | 18h22

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, determinou nesta quarta-feira, 27, a transferência do lobista e doleiro Lucio Bolonha Funaro para o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. Ele estava preso desde 1º de julho na sede da Polícia Federal na cidade, após a Operação Sépsis, um das etapas da Lava Jato. 

Funaro estava em uma cela que apresentou problemas no encanamento e foi transferido para uma sala de custódia da Polícia Federal no Aeroporto de Brasília. A defesa do doleiro entrou com uma petição no STF alegando que as condições em que ele estava preso violavam direitos e atentavam contra a integridade física e a segurança dele. 

Na volta do recesso do Judiciário, o ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no STF, deverá reavaliar se Funaro deverá ou não ser mantido na Papuda. O doleiro é apontado como um dos operadores do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no esquema de arrecadação de propinas de grandes empresas que, para executar projetos milionários, recorriam ao Fundo de Investimentos do FGTS (FI/FGTS), então sob comando do vice-presidente da Caixa, Fábio Cleto.

Funaro, seu assessor, Alexandre Margotto, Cunha, Cleto e o ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) são alvo de denúncia no Supremo, acusados de envolvimento no caso. A denúncia tramita em sigilo na Corte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.