Presidente do STF indefere pedido de adiamento

Começou esvaziada a sessão do julgamento da admissibilidade da denúncia do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF). Uma boa parte das 246 cadeiras do plenário reservadas a advogados, jornalistas e assessores dos acusados não está ocupada. Nem todos os defensores dos acusados registraram presença. A presidente do STF, Ellen Gracie, informou que indeferiu pedido do advogado do empresário Carlos Alberto Quaglia, acusado de formação de quadrilha, para adiar o julgamento. "Eu indeferi o pedido por não ver razoabilidade", afirmou a ministra. Em seguida, a ministra deferiu solicitação do procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza. Ele terá prazo de uma hora para fazer sua sustentação oral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.