Beto Barata/AE
Beto Barata/AE

Presidente do STF confirma votação fatiada do mensalão

Formato da leitura dos votos foi motivo de discussão entre os ministros na quinta-feira

Reuters

17 de agosto de 2012 | 10h41

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ayres Britto, afirmou nesta sexta-feira, 17, que a apresentação dos votos dos ministros na ação penal do chamado mensalão será feita de forma fatiada, como quer o relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, que começou na quinta-feira a leitura de seu voto desta forma e já pediu a condenação de quatro réus.

 

O formato provocou forte resistência do ministro revisor da ação, Ricardo Lewandowski, que na noite de quinta já havia afirmado ter sido "vencido". O ministro queria apresentar na íntegra os votos de cada réu.

 

Britto, que na manhã desta sexta-feira participou de evento na Advocacia-Geral da União (AGU), disse a jornalistas que "o andar da carruagem" irá determinar a possibilidade de o ministro Cézar Peluso, que se aposenta compulsoriamente em 3 de setembro por completar 70 anos, votar até o final do processo.

 

O ministro Joaquim Barbosa iniciou a apresentação de seu votou na quinta e pediu a condenação do empresário Marcos Valério pelos crimes de corrupção ativa e peculato, e do deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e dois atos de peculato.

 

Barbosa, primeiro ministro a votar por ser o relator do processo, se manifestou também pela condenação de Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, sócios de Valério na agência de publicidade SMP&B, por corrupção ativa e peculato.

 

O julgamento, que não tem data para acabar, será retomado na segunda-feira. Existe a preocupação entre alguns membros do Supremo de acelerar o julgamento para permitir o voto do ministro Cezar Peluso, que se aposentará compulsoriamente no dia 3 de setembro, quando completará 70 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.