Presidente do STF condena ação da PF em Buritis

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, condenou hoje a ação da Polícia Federal na desocupação da fazenda Córrego da Ponte, em Buritis, de propriedade da família do presidente Fernando Henrique Cardoso, invadida por militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no fim de semana. Para o magistrado, a PF cometeu uma "violência descabida e injustificável" ao algemar 16 sem-terra. "Fiquei perplexo. Colocar-se aquelas pessoas com o rosto virada para o chão, ao meu ver, só teve um objetivo: a humilhação. Só faço uma pergunta: Para quê esse procedimento, com tantos policiais que podiam muito bem acompanhar os sem-terra para a viatura que os transportaria à Brasília?", perguntou o juiz. No mês passado, Mello criticou a PF pela mesma razão: o uso de algemas na prisão do ex-senador Jader Barbalho (PMDB-PA). Hoje, o ministro criticou também o MST, pelo que considerou "violência perpretada à privacidade" da família do presidente da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.