Presidente do STF cobra pagamento de precatórios

Indignado com a falta de pagamento de precatórios por parte dos Estados, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, avisou que vai convocar os governadores para conversar sobre os cerca de 3 mil pedidos de intervenção federal recebidos pelo STF. Esses pedidos foram feitos com base no não pagamento de precatórios, que são dívidas decorrentes de decisões judiciais. O governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PMDB), deverá ser o primeiro convidado. Depois dele, Marco Aurélio pretende chamar o governador do Piauí, Francisco de Assis Moraes Souza (PFL), mais conhecido como Mão Santa. Também está com destaque na lista de futuros convidados de Marco Aurélio o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). São Paulo é o Estado com mais pedidos de intervenção federal por falta de pagamento de precatórios. Segundo o STF, existem mais de 2 mil pedidos. Pouco mais de um mês após assumir a presidência do Supremo, Marco Aurélio disse que "precisa haver uma conscientização maior, e o Estado deve adotar postura exemplar". Segundo ele, "não é aceitável que o Estado postergue o cumprimento de decisões judiciais". O ministro disse que "está em jogo o próprio Estado", já que o não pagamento dos precatórios "desacredita o Judiciário". O presidente do STF resolveu falar sobre os precatórios após receber o presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados, Wellington Dias (PT-PI). Marco Aurélio disse que a convocação dos governadores será uma estratégia para tentar solucionar amigavelmente as pendências. "Pelo que constatei, a maioria dos processos envolve São Paulo", disse o ministro, completando que "em São Paulo, a situação é assustadora".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.