Presidente do PT-SP fala em condições favoráveis de governo para Dilma

Edinho Silva destacou as boas relações entre PT e PMDB e disse que predomina o ambiente de 'tranquilidade'

Yolanda Fordelone, de O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2010 | 18h28

SÃO PAULO - Com a conquista da maioria no Senado e Câmara pelo PT e aliados, o presidente do diretório de São Paulo do PT, Edinho Silva, avalia que as condições de governabilidade num possível governo Dilma são favoráveis. O presidente foi entrevistado pelos jornalistas Luiz Fernando Bovo e Felipe Machado.

 

Para Edinho, o PMDB ganhou um espaço que nenhum outro partido tem. "Só ele efetivamente divide  o espaço do centro do poder", disse, referindo-se à coligação que garantiu ao partido a candidatura à vice-presidência de Michel Temer.

 

O presidente do PT diz ter conversado muito com Michel Temer. "Não vejo uma relação de tensão com o PMDB. Com algum setor ou outro dentro do partido sempre existe, mas eu vejo um ambiente de muita tranquilidade", diz.

 

Sobre o papel de Lula no governo de Dilma, o presidente do PT acredita que o político atuará num primeiro momento como conselheiro. "Lula vai efetivamente exercer o papel de ex-presidente. Vai se manifestar, dar opinião se for chamado, mas não vejo ele monitorando, participando, tendo um papel cotidiano no governo", afirma.

 

Sobre os desafios do partido, Edinho acredita que ainda há muito espaço em São Paulo para o PT crescer. "Sem dúvida um dos desafios do partido é entender a sociedade paulista e as forças políticas que agem aqui", disse. "Devemos criar um diálogo permanente com São Paulo, uma agenda de propostas."

 

Edinho também disse que acredita que as reformas tributária e política devem ser feitas no próximo governo. "Estas reformas tem de sair porque apesar de terem tido pequenas mudanças não podemos ter as diretrizes de um período do final dos anos 80."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.