Presidente do PT chama Aécio de 'cara-de-pau'

A militantes do partido em Belo Horizonte, Rui Falcão rebate declarações de pré-candidato tucano à Presidência de que Dilma é 'leniente' com a inflação

Aline Reskalla e Fernando Gallo

16 Abril 2013 | 14h03

Belo Horizonte - O presidente nacional do PT, Rui Falcão, contra-atacou na noite desta segunda-feira, 15, em Belo Horizonte, as críticas recentes feitas ao governo Dilma pelo senador e ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves, pré-candidato do PSDB à Presidência da República. A um auditório lotado de militantes e observado por Dilma e pelo ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, Falcão começou respondendo a afirmação do tucano de que vai mandar o PT tirar férias do poder.

 

"Há poucos dias, um senador, pré-candidato à presidência, disse que vai mandar o PT sair de férias, numa alusão de que pretende substituir nosso governo. Governador, goze suas férias, mas deixe a Dilma trabalhar", afirmou o presidente do PT, que participou no seminário "PT 10 anos de governo", em Belo Horizonte.

 

Falcão chamou Aécio de "cara de pau" ao comentar entrevistas recentes do tucano mineiro, nas quais ele afirma que o governo federal é leniente com a inflação. "Esse senador disse que a Dilma é leniente com a inflação, e que no governo do PSDB havia tolerância zero com a inflação. É muita cara de pau", afirmou Falcão.

 

O petista comparou dados dos índices oficiais nos governos petistas e tucanos, dizendo que nos oito anos de governo FHC a inflação medida pelo IPCA foi de 9,24%. E que, nos oito anos do governo Lula, não passou de 5,78%. Ele continuou: "Nos dois anos do governo Dilma, a média anual foi de 6,17%. Se somarmos os governos Lula e Dilma, a média anual alcançou 6,04%. Os números mostram que a media do governo FHC foi 52% mais alta", afirmou Falcão.

 

O presidente do PT também rebateu o senador tucano ao afirmar que foi a oposição que antecipou o processo eleitoral, acusação que Aécio tem feito ao PT. "Quando digo oposição, quero me referir a esse bloco do senador, integrado por tucanos, ex-comunistas e ex-pefelistas empenhados em recuperar as posições de onde foram desalojados, com aliados poderosos na mídia monopolizada, em aparelhos de estado com os altos funcionários do judiciário e do Ministério Público", afirmou Falcão.

 

O dirigente ainda comentou a abertura de investigação sobre o envolvimento de Lula no mensalão. "Seu ataque mais recente voltou-se contra o presidente Lula, tentando envolvê-lo num processo forjado e sem fundamento. Nós o repelimos com veemência. O único crime cometido pelo presidente Lula foi ter melhorado a vida de milhões de brasileiros", defendeu.

 

 

Mais conteúdo sobre:
eleições 2014 aécio rui falcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.