GABRIELA BILO | ESTADAO
GABRIELA BILO | ESTADAO

Presidente do PPS diz que Jucá deveria pedir demissão

Roberto Freire disse que, caso Jucá não saia por sua vontade, Temer tem a "obrigação" de afastar o atual ministro do cargo

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2016 | 15h21

BRASÍLIA - O presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire (SP), declarou, nesta segunda-feira, 23, que o ministro do Planejamento, Romero Jucá (PMDB-RO), deveria pedir demissão após ele supostamente sugerir, em conversa telefônica interceptada pela Justiça, um acordo para impedir avanços da Operação Lava Jato.

Em nota, o parlamentar afirmou que, caso Jucá não o faça, o presidente em exercício Michel Temer "tem a obrigação de afastar o atual ministro do cargo e dar as garantias necessárias para a continuidade das investigações". Freire reiterou ainda o "completo apoio do partido ao combate a corrupção".

Na semana passada, após a nomeação de André Moura (PSC-SE) como líder do governo na Câmara, PPS, DEM, PSDB e PSB, ameaçaram criar um bloco antagonista ao grupo formado por 13 partidos da base aliada de Temer - liderados pelo PP, PR, PTB e PSD. Na última sexta-feira, 20, Temer conseguiu intervir e adiar a criação do bloco, porém ele ainda enfrenta a possibilidade de ter a sua base formalmente dividida.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.