Presidente do Metrô vai à Assembleia falar sobre denúncias de cartel

Luiz Antonio Carvalho Pacheco participa de audiência pública em comissão da Casa; acordo entre empresas para atuar em concorrências do setor foi revelado pela Siemens

José Roberto Castro - Agência Estado

04 de setembro de 2013 | 12h26

O presidente do Metrô, Luiz Antonio Carvalho Pacheco, vai na tarde desta quarta-feira, 4, à Assembleia Legislativa de São Paulo para falar das denúncias de cartel em licitações do setor metroferroviário. Em audiência pública na Comissão de Infraestrutura, Pacheco fala pela primeira vez na Assembleia sobre as investigações do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

 

A existência de um cartel foi denunciada pela Siemens por meio de um acordo de leniência, espécie de delação premiada. Ao Cade, a multinacional declarou integrar o esquema que atuou em concorrências do sistema de trens metropolitanos de São Paulo e do Distrito Federal entre os anos de 1998 e 2008.

 

A comissão de Infraestrutura convidou ainda o ex-presidente do Metrô Luiz Carlos Frayze David, o ex-diretor do Metrô Decio Tambeli, o ex-gerente de manutenção da CPTM Nelson Scaglioni e o diretor da MGE Ronaldo Moriyama.

 

No fim do mês de agosto, o presidente do Cade, Vinicius Carvalho, disse que o órgão pode abrir ainda neste ano o processo administrativo. A denúncia levada aos órgãos, feita por carta anônima, relata a existência de fraudes em licitações e pagamento de propinas a agentes públicos brasileiros, além da formação de cartel com outras multinacionais, como a francesa Alstom. As duas empresas dizem colaborar com as autoridades nas investigações. Em agosto, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou que iria processar a multinacional.

 

Além das denúncias sobre o cartel, Pacheco vai conversar com os parlamentares sobre o acidente na linha 3-Vermelha do Metrô que causou transtornos a passageiros no último dia 5 de agosto. A comissão é presidida pelo deputado petista Alencar Santana (PT).

 

 

Mais conteúdo sobre:
cartelcartel do metrôsiemens

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.