Divulgação
Divulgação

Presidente do Conselho de Ética reclama de interferência de Cunha

José Carlos Araújo chama destituição de relator de 'golpe'; para ele, vice da Câmara não assinaria documento sem orientação

Daniel Carvalho e Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2015 | 19h58

BRASÍLIA - O presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PSD-BA), reclamou nesta quarta-feira, 9, de interferência do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Nesta tarde, o relator do processo contra o peemedebista, Fausto Pinato (PRB-SP), foi destituído e integrantes da tropa de choque de Cunha levantaram suspeição sobre Araújo.

“Essa foi uma violência, um acinte ao Conselho de Ética, a nós deputados. Não se pode se manter num cargo na força, na pressão. Do jeito que as coisas estão, essa Casa vai ter que fechar porque está faltando respeito”, afirmou Araújo.

Questionado diretamente sobre interferência de Cunha na decisão de destituir Pinato em documento assinado pelo primeiro vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), José Carlos Araújo respondeu ironicamente. “Você acha que o vice-presidente da Casa ia escrever uma pérola daquela se não tivesse sido orientado a fazê-lo?”, questionou o presidente do conselho.

Ainda durante a sessão do colegiado, Araújo classificou como "golpe" a decisão do vice de retirar Pinato da função. "Acho que isso é golpe. Não podemos continuar numa Casa em que a cada instante reformula-se as decisões", desabafou

Araújo disse em plenário que recorreria da destituição. O presidente do conselho quer votar o parecer antes do recesso parlamentar, que começa no final da próxima semana. “Aquele que eu achar que vai ser o relator, vou conversar com ele hoje para que ele trabalhe durante a noite e amanhã possa apresentar ou uma complementação de voto ou um novo relatório. Se não der, (apresenta) na próxima terça-feira. Mas temos que tentar votar o relatório ainda este ano”, afirmou o presidente.

No início da noite desta quarta, o deputado Marcos Rogério (PDT-RO) foi divulgado como o novo relator do processo contra Cunha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.