Presidente do Conselho de Ética lamenta absolvição de Josias Gomes

O presidente do Conselho de Ética, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), lamentou a absolvição de Josias Gomes da Silva (PT-BA), a décima de 15 parlamentares que responderam a processo por quebra de decoro parlamentar (quatro renunciaram e conseguiram se livrar do processo). "É uma pena. O Conselho de Ética ficou mais de oito meses tratando dessas questões, levantando provas, num trabalho cansativo e profundo, e o plenário absolve todo mundo".O deputado Chico Alencar (PSol-RJ), que abandonou o Conselho de Ética depois da absolvição de João Paulo Cunha (PT-SP), também lamentou a decisão do plenário. "A Câmara perdeu de vez o pudor. A falta de rigor ético está descarada. Mas no fim, acho que o plenário foi coerente no seu descaso para com a própria representatividade do Parlamento. Daqui, dessa legislatura, não se pode esperar nada. Essa é a legislatura da pizza".O deputado Nelson Trad (PMDB-MS), disse que a decisão desta quarta, com quorum baixo, influiu na decisão. "A direção da Casa teve participação direta nessa decisão, porque havia pouca presença". Para o deputado Moroni Torgan (PFL-CE) "virou moda absolver os acusados".Colaborou Denise Madueño.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.